MARKULUS

Do mito grego fundador dos diferentes sexos – Andros, Gynos e Androgynos - até à oposição de géneros, variantes se suprimiram. A terceira das criaturas, metade masculina e metade feminina, não agradara aos deuses – era, enfim, a mais poderosa. E assim se convertiam os seres em dois. 
Não por evolução darwinista, mas por temor. 
Pode ser MARKULUS a criatura suprimida, a mais poderosa afinal, a que é homem, mulher, masculino, feminino, andros e gynos? Poderia o herói não ser refém do masculino? 
Existirá o mito de modo espontâneo, na realidade? 
Como reagirá aquele que ficciona, em si próprio, o exacerbar desta separação? 
E se fossemos capazes de reinventar, hoje, o mito fundador? 


Ficha Artística e Técnica:


. Direcção, conceito e espaço cénico: Ricardo Machado 
. Criação e interpretação: Mia Distonia e Ricardo Machado 
. Olhar externo e Criação: Costanza Givone
. Música e Textos: Mia Distonia 
. Desenho de luz: Cláudia Valente
. Apoio à construção musical: Pedro Salvador
 
Coprodução: Outro Vento, Centro de Arte de Ovar, Circolando, Largo Residências

Apoio: Fundação GDA

Residência: O Espaço do Tempo, LARGO Residências


Apresentações:

A ser integrado na programação do Festival Bairro Intendente em Festa 2019, Julho 2019

 


A partir de: 
10 de Junho de 2019 to 30 de Junho de 2019

Parcerias