Kodé di dona - Raiz di Polon

Raiz di Polon “Kodé di Dona” um solo de Mano Preto 

Kodé di Dona 

Na sua segunda obra solo, depois da ofegante, tensa e frenética “Dom Quixote da Ilha”, de 2007, Mano Preto presta homenagem a um dos vultos maiores das artes cabo-verdianas dos séculos XX e XXI, Kodé di Dona. 

Na sua primeira incursão coreográfica em que encarna um personagem histórico real específico ao longo de uma obra inteira, Mano Preto lança mão de toda a sua experiência não só enquanto coreógrafo e criador cénico, como também enquanto intérprete e actor, para transmitir as idiossincrasias e especificidades do ser santiaguense tal como são destiladas na pessoa de Kodé di Dona. Kodé di Dona é mais conhecido pelo público cabo-verdiano como compositor de temas incontornáveis do repertório das ilhas como “Fome 47” e “Pomba na Varanda”, mas era também um intérprete inimitável, um poeta de rara expressividade, subtileza e força filosófica, um historiador popular raro e uma personalidade que continua a marcar uma certa maneira de ser do badiu – uma maneira de ser da qual o conhecimento e consciência são essenciais para o entendimento do mundo contemporâneo cabo-verdiano mas que, tragicamente, se encontra em vias não de extinção, mas de encobrimento por um pseudo-voluntário esquecimento que se quer modernista mas que corre o risco de se despegar dos significados conscientes e inconscientes que subjazem os nossos signos colectivos. 

Mano Preto, nesta peça, encarna o personagem e a persona de Kodé di Dona através, evidentemente, da dança – principalmente o funaná, género com o qual o compositor é mais associado – assim como através da interpretação dos gestos e expressões corporais e faciais do malogrado artista, para brindar o público não com um retrato biográfico da figura histórica, senão com uma história figurativa “contada” e transmitida através de uma encenação que recria e re-cria um ambiente em que todos, mesmo os que o desconhecem – ou acham que o desconhecem – por completo poder-se-ão reconhecer. 


Concepção, coreografia, direcção artística e interpretação MANO PRETO 

Assistentes de criação e pesquisa de movimentos CORPO DE BAILADO DA COMPANHIA RAIZ DI POLON DJAMILSON BARRETO KAKÁ OLIVEIRA JEFF HESSNEY 

direcção musical JEFF HESSNEY e MANO PRETO 

iluminação JEFF HESSNEY 

adereços MANO PRETO 

música original KODÉ DI DONA 

apoio: RAIZ DI POLON MINISTÉRIO DA CULTURA E DAS INDÚSTRIAS CRIATIVAS DE CABO VERDE COMPANHIA NACIONAL DE BAILADO (Estúdios Victor Córdon) EMBAIXADA DE CABO VERDE EM LISBOA CÂMARA MUNICIPAL DA PRAIA MINISTÉRIO DE FINANÇAS DE CABO VERDE 

Agradecimentos: Instituto Camões – Centro Cultural Português da Praia, Raquel Monteiro, João Paulo Brito, Parallax Produções, Sansei Narciso Mascarenhas, Associação Mindelact, Sara Tavares, Mayra Andrade, Artemisa Lopes, Sueline Furtado, todos os elementos do Raiz di Polon 

Agradecimento Especial: Rui Lopes Graça

 


A partir de: 
15 de Julho de 2019 to 1 de Agosto de 2019

Projecto Principal

Pessoas Relacionadas

Parcerias