FELICIDADE. Drama em quatro cenas

Residência Artística "Felicidade" - Projecto Ruínas

O projeto "felicidade, um drama em quatro cenas", insere-se no ciclo de biografias ficcionadas do Projecto Ruínas. Foi o mote para os espectáculos "Dança", "Mute" e "Solo", nos quais se ficconaram biografias de artistas de diversas maneiras e onde se aproveitou o elemento do espectáculo enquanto universo específico, para reflectir sobre o papel do artista na sociedade, a sua importância como provocador de emoções e de pensamento. 

Baseado num texto original de Francisco Campos, que será escrito a partir de improvisações com os actores, e depois submetido durante o processo à reescrita da encenação, à experiência do ensaio, a reformulações de abordagem, num processo em que a criatividade colaborativa será a principal característica. O título reflete por isso apenas o mote para o projecto. O espectáculo que se pretende criar não sendo um musical porque aliás, a cantora está afónica, assentará na musicalidade, seja a música propriamente dita, aqui tida como banda sonora, seja pelo ritmo do espectáculo como proposta baseda numa pesquisa musical e coreográfica onde o texto encaixa. Como o próprio universo do espectáculo sugere, o tratamento plástico, tanto nos elementos cenográficos como na luz, tenderá a recriar um ambiente que oscila entre a sala de ensaio ou o camarim, e o palco, procurando o cantraste entre um plano mais realista e outro mais "bigger than life". Este contraste criará a tensão cénica entre mundo interior e mundo exterior, num choque de realidades, que permitirá fazer sobressair os elementos trágicómicos, que serão a característica principal do espectáculo. A pesquisa em volta da função da narrativa como um contrato entre o artista e público, continua a ser um dos principais temas que definem o nosso trabalho, numa espécie de batalha eterna entre ficção e realidade que nos tem ocupado desde sempre.


Sinopse

Uma cantora marcou um encontro com Deus quando ficou doente: um suposto tumor nas cordas vocais.
Com as suas preces, julgou que o seu talento lhe garantia a proximidade (um lugar vip) com o criador. Curada, passado o susto, de regresso ao quotidiano, a cantora debate-se com a imposibilidade de se conciliar com as coisas simples da vida. As companheiras de palco, os músicos, o agente, depressa lhe mostram que o tempo não parou. E que ela, ultrapassada pelos acontecimentos, terá de aceitar o seu destino. O retrato de uma cantora que procura uma razão para continuar depois de ter decoberto que Deus não lhe serviu para nada.


Ficha artística e técnica

Texto e encenação - Francisco Campos
Interpretação - Susana Blazer, Susana Nunes, Miguel Antunes e Francisco Campos
Desenho de luz - Nuno Patinho
Espaço cénico - Bruno Guerra
Design gráfico - Miguel Rocha
Ambiente sonoro - João Bastos
Registo e Edição - Rodolfo Pimenta
Produção - Catarina Caetano


Financiamento
Município de Montemor-o-Novo, ME - Direcção Geral das Artes, Município do Porto

Apoio
Teatro Meridional, O Espaço do Tempo, LARGO Residências, Oficinas do Convento


A partir de: 
1 de Junho de 2019 to 6 de Junho de 2019

Parcerias