Exposição - Sinal de Alarme

Exposição Sinal de Alarme nas escadad da estação do metropolitano do Intendente
Instalação
Zé Luís C / Lina & Nando / Rui Dias Monteiro
Domingo, Setembro 22, 2019 - 09:00 to Quinta, Outubro 10, 2019 - 23:45

No âmbito do festival NEXT STOP, o projecto Sinal de Alarme espalhou pelas escadas da estação do Intendente todas as palavras que viajaram na Linha Azul do Metropolitano de Lisboa, entre 2011 e 2012, numa instalação visual e secretamente sonora.

No Largo Café Estúdio são expostas algumas frases do projecto SINAL DE ALARME e um poema contínuo em áudio na fila para a WC.


A HISTÓRIA

Durante 365 dias seguidos, de 14 de Fevereiro de 2011 a 14 de Fevereiro de 2012, o José deixou uma flor que viajou clandestinamente com um aforismo no Sinal de Alarme da última carruagem da Linha Azul do Metropolitano de Lisboa. Cada crime foi registado com dia, hora e minuto. Em cada um foi associado um aforismo diferente no verso de cada bilhete. No interior estava uma carta de amor com um apelo secreto. Algumas cartas tiveram resposta. Foram cartas de amor anónimas e escritas à mão. Tudo em Lisboa. No último dia houve o desafio para que mais fizessem o mesmo. O ‘Sinal de Alarme’ ultrapassou as fronteiras da cidade e do metro: num comboio em Madrid, numa bicicleta em Aveiro, na casa de banho de um avião a caminho de Londres, nos transportes urbanos de Braga, num campo no Chile e na segunda linha de metro mais antiga do mundo em Budapeste, proclamada Património da Humanidade. Tudo no dia do crime #365.


Ficha Técnica e Artística

Concepção, criação e interpretação: Zé Luís C
Apoio à criação: Rui Dias Monteiro
Criação da Instalação Artística/Design: lina & nando

www.facebook.com/sinaldealarme